Equipe com 20 colaboradores é responsável pela manutenção do AME e HEAB

Trocar uma lâmpada, construir um quiosque, aparar o gramado, verificar o encanamento e até mesmo cuidar da única unidade de tratamento de esgoto do município: essas também são algumas das atividades realizadas por profissionais do Hospital Estadual Américo Brasiliense (HEAB).

[caption id="attachment_18437" align="alignleft" width="150"] Sr. Flores[/caption]

Com pouco mais de 600 colaboradores e parceiros, 3% do quadro efetivo de profissionais dedicam o trabalho para manter a estrutura física da Instituição e, em 2014, novos colaboradores irão integrar a equipe de manutenção do HEAB. “Eles são os contrarregras que auxiliam na apresentação do espetáculo protagonizado pela linha de frente”, afirmou Filipe Negrão da Costa Reis, Engenheiro Responsável Técnico.

Segundo Filipe Reis, a importância deste setor é como o de qualquer outro profissional que atua no hospital. “Se tivéssemos apenas serviço terceirizado, as Ordens de Serviço levariam no mínimo de cinco a dez vezes mais de tempo, por necessitar de três orçamentos, realizar a contratação do serviço e verificar a qualidade depois de finalizado. Com nossa equipe interna, eles já são sensibilizados pelo serviço hospitalar, atendendo com rapidez e qualidade os serviços necessários para o bom funcionamento do hospital”, garantiu o engenheiro.

No inicio deste ano, parte da equipe dedica os trabalhos às reformas dos quartos e colocando proteções nas paredes, para minimizar os estragos causados pelo tempo de uso. Além disso, estão em obras a construção do deposito de materiais reciclados e a implantação de um desmineralizador de água para o autoclave da Central de Material Esterilizado.

Para o auxiliar de jardinagem, José Roberto Flores, que trabalha no HEAB há três anos e dez meses, o hospital é a segunda casa. “Gosto e muito de trabalhar aqui. O HEAB é como se fosse minha casa, o ambiente é bom, gostoso, agradável e todo mundo se respeita como ser humano”, disse Flores.

Com 64 anos de idade, “Seo Flores”, como é mais conhecido, é o único autorizado a dirigir o minitrator roçadeira, por isso, durante a poda no gramado é possível encontrá-lo em qualquer parte dos 30 mil metros quadrados da instituição. “Enquanto Deus me der saúde, eu não pretendo parar não”, finalizou sorrindo.

A maioria dos profissionais trabalha com jornada padrão, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, porém, áreas críticas, como utilidades e engenharia clínica, possuem profissionais aos fins de semana, além dos eletricistas que dão suporte 24h.

Você sabia que o HEAB possui uma estação de tratamento de esgoto?

Segundo o Engenheiro Responsável Técnico, Filipe Negrão da Costa Reis, como possuímos uma variedade de substâncias descartadas na rede de esgoto, isso torna o descarte mais nocivo ao meio ambiente do que o do esgoto residencial comum, composto basicamente de matéria orgânica. Deste modo, é importante que o hospital minimize a poluição gerada.

Ainda segundo Filipe, a estação do HEAB é um diferencial, assim como a maioria das indústrias possuem uma estação própria, realizando o pré-tratamento, o ideal seria que cada município tivesse sua estação de tratamento para redução da poluição gerada nos rios, reduzindo custos do tratamento de potabilidade.

Referência: Assessoria de Imprensa HEAB

Tags:,

Compartilhe

Editor: Benedito Carlos Maciel
Corpo Editorial: Margaret de Castro, Benedito Carlos Maciel, Ricardo de Carvalho Cavalli
Coordenação Executiva: Célia Bíscaro
Assessoria Técnica: Seção Técnica de Informática da FMRP-USP
Assessoria: Assessoria de Imprensa do HCFMRP-USP, Assessoria de Imprensa HEAB, Assessoria de Imprensa do Hemocentro RP e Documentação Científica da FMRP-USP
Jornal Eletrônico do Complexo Acadêmico de Saúde - FMRP-USP | HCFMRP | FAEPA
2012 - Todos os Direitos Reservados - Fale Conosco