Hospital das Clínicas participa de Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP) da USP integrou a Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço, denominada Julho Verde. A campanha teve como objetivo conscientizar e alertar a população sobre os sintomas da doença e a importância do diagnóstico precoce.

Para chamar a atenção do mundo para os cuidados e controle do câncer de cabeça e pescoço, a Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço instituiu o dia 27 de julho como o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço.

Como parte da campanha, o HC promoveu o primeiro Curso de Câncer de Cabeça e Pescoço da FMRP, de 28 a 30 de julho, que contou com a participação de renomados cirurgiões de cabeça e pescoço de vários estados do país, tendo como objetivo principal o intercâmbio de conhecimento específico da área entre profissionais de saúde que lidam diariamente com esse tipo de doença.

O médico Luiz Carlos Conti de Freitas, cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital das Clínicas e coordenador da campanha em Ribeirão Preto, esclareceu que, nos últimos anos, tem-se notado um aumento de casos de câncer de cabeça e pescoço e alerta que, quanto mais precoce for a detecção da doença, mais eficaz será o tratamento.

Incidência do câncer de cabeça e pescoço

O câncer de cabeça e pescoço compreende tumores que envolvem principalmente a boca, a faringe-garganta, a laringe-cordas vocais, os seios da face, a cavidade nasal ou a glândula tireoide.

A incidência do tumor nessas localidades é 20 vezes maior em indivíduos que bebem e fumam, mas, nos últimos anos, a infecção pelo papiloma vírus (HPV) tem sido responsável pelo aumento dos casos, principalmente pelo desenvolvimento de tumores na faringe. Uma das formas de contágio do HPV é por meio de contato sexual.

Segundo levantamento do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de boca, laringe e demais sítios é hoje o segundo mais frequente entre os homens, atrás somente do câncer de próstata, com mais de 18 mil casos diagnosticados anualmente no Brasil. Nas mulheres, predomina o câncer da tireoide, sendo o quinto mais comum entre elas.

Entre os sintomas preocupantes estão o nódulo no pescoço, a ferida na boca e a rouquidão. A persistência de um desses sintomas por mais de 21 dias é sugestivo da presença do câncer, especialmente em fumantes e consumidores frequentes de bebidas alcoólicas. Tais manifestações servem de alerta para a procura do médico, com urgência.

Situação em Ribeirão Preto

Em Ribeirão Preto, o HCFMRP registrou elevação do número de novos casos de câncer de cabeça e pescoço em 2014, com um aumento de 20% em relação a 2012, com destaque para os casos de câncer de tireoide.

O HC registrou também 50 pacientes com câncer de laringe e 112 de boca ou faringe. Para esses tumores, os principais vilões são o cigarro, álcool e o HPV. O cirurgião Luiz Carlos Conti explicou que, caso a doença seja diagnosticada em fases iniciais, o paciente pode iniciar logo o tratamento, com maior sucesso no controle da doença e risco mínimo de sequelas estéticas ou funcionais. “Com o diagnóstico precoce, a chance de cura está acima de 90%”, afirmou.

 Referência: Portal de Informações da USP / Ribeirão Preto - Por: Assessoria de Imprensa do HC-FMRP, com informações do Instituto Nacional de Câncer

Tags:

Compartilhe

Editor: Benedito Carlos Maciel
Corpo Editorial: Margaret de Castro, Benedito Carlos Maciel, Ricardo de Carvalho Cavalli
Coordenação Executiva: Célia Bíscaro
Assessoria Técnica: Seção Técnica de Informática da FMRP-USP
Assessoria: Assessoria de Imprensa do HCFMRP-USP, Assessoria de Imprensa HEAB, Assessoria de Imprensa do Hemocentro RP e Documentação Científica da FMRP-USP
Jornal Eletrônico do Complexo Acadêmico de Saúde - FMRP-USP | HCFMRP | FAEPA
2012 - Todos os Direitos Reservados - Fale Conosco