Médico do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto canta para paciente de um ano e comove internet

“Amar e se dedicar ao próximo têm de ser algo constante e rotineiro”, escreveu o residente do HC (Hospital das Clínicas) de Ribeirão Preto, Paulo Martins, de 27 anos, após a repercussão positiva de um vídeo postado por ele no Facebook, no dia 14 de março. O vídeo teve mais de 124 mil compartilhamentos e cerca de 4 milhões de visualizações.

Nas imagens, o médico canta para Sophia Romão Bueno, de um ano e quatro meses, que está em tratamento contra uma doença rara – a Histiocitose de células de Langerhans. 

Paulo conta que teve a ideia de levar ao hospital um instrumento musical de cordas, o ukulele, e tentar minimizar a ociosidade da internação e as dificuldades do tratamento.

“Tentamos tirar o foco da doença, pois a música é um remédio para a alma”, disse o residente, que ainda afirmou não ter ligação com a música profissional.

O médico, junto com os companheiros da oncologia, começou a tocar e a cantar de quarto em quarto as músicas que os pacientes pediam e percebeu que a pequena a Sophia os acompanhava no corredor.

O pai de Sophia, Julliano Luiz Bueno, avisou que a filha gostava de Marília Mendonça e, então, o médico começou a cantar “Eu Sei de Cor” e a menina dançou a música inteira no corredor do hospital.

Aí, veio outro sucesso, “Medo Bobo”, da dupla Maiara e Maraisa. “Toquei e ela dançou divinamente bem. Ao término, só alegria. Todo mundo feliz, leve. Aquilo se chamava paz”, escreveu em seu perfil no Facebook.

Paulo cita que a repercussão positiva o fez lembrar de críticas que recebeu “por ter esse jeito” desde a época da graduação até mesmo na residência.

“Quando fiz pijamas cirúrgicos com temas infantis recebi críticas. Disseram que eu estava parecendo um palhaço no hospital, mas os comentários positivos são maiores e os que mais me motivam”, afirmou.

Até a tarde desta quinta-feira (23), o vídeo de Sophia tinha mais de 124 mil compartilhamentos na página de uma clínica da família do médico – a mãe e uma irmã de Paulo são pediatras - em Campina Grande (PB), sua cidade natal, além de outros 500 compartilhamentos, 3,2 mil curtidas e quase 100 comentários de apoio no perfil do residente.

“Quando a gente faz o que gosta, do jeito que gosta, dá certo. Nesta tarde, todos ganhamos. Na saudade intensa de casa e da minha família, nos braços dos pacientes e dos seus familiares, recebo todo afeto do mundo”, escreveu.

Alegria é contagiante

Para a mãe de Sophia, Mayara Cristiane Romão Bueno, 28, a filha é um exemplo de vida.

“Ela é muito feliz e as pessoas dizem que nem parece que está doente. Essa alegria da Sophia contagia a todos nós”, disse a mãe.

A família, que é de São Carlos, trata a doença de Sophia no HC de Ribeirão desde junho de 2016. São consultas, sessões de transfusão de sangue e quimioterapia.

De acordo com a mãe, os médicos dizem que há chances de cura para a doença, que se apresenta por meio de um distúrbio proliferativo de células inflamatórias pelo corpo e se manifesta principalmente em lesões ósseas e cutâneas.

“Pelo menos naquele momento da música que cantei para Sophia, esquecemos da doença. Uma das coisas que mais faz o corpo adoecer é o pensamento”, disse o médico.

Assista o vídeo AQUI

Referência: ACidadeON / Ribeirão - Por: Ricardo Canaveze

 

Compartilhe

Editor: Benedito Carlos Maciel
Corpo Editorial: Margaret de Castro, Benedito Carlos Maciel, Ricardo de Carvalho Cavalli
Coordenação Executiva: Célia Bíscaro
Assessoria Técnica: Seção Técnica de Informática da FMRP-USP
Assessoria: Assessoria de Imprensa do HCFMRP-USP, Assessoria de Imprensa HEAB, Assessoria de Imprensa do Hemocentro RP e Documentação Científica da FMRP-USP
Jornal Eletrônico do Complexo Acadêmico de Saúde - FMRP-USP | HCFMRP | FAEPA
2012 - Todos os Direitos Reservados - Fale Conosco