Siamesas unidas pela cabeça ‘respondem bem’ após cirurgia de oito horas em Ribeirão Preto, SP Procedimento cirúrgico foi minuciosamente planejado, informou Hospital das Clínicas (HC) de Ribeirão Preto (SP). Irmãs passaram pela segunda de quatro intervenções previstas até o fim do ano

A segunda fase de separação das gêmeas siamesas unidas pela cabeça foi concluída após oito horas de cirurgia, neste sábado (19), no Hospital das Clínicas (HC) em Ribeirão Preto (SP). Não foram divulgadas imagens do procedimento.

Segundo informações da assessoria de imprensa do hospital, as gêmeas já estão acordadas, respondendo bem, e seguem para cuidados na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Ainda estão previstas mais duas etapas para separação total das meninas.

O HC informou que o procedimento cirúrgico terminou por volta das 16h e foi minuciosamente planejado pela equipe médica.

As irmãs siamesas Maria Ysabelle e Maria Ysadora, de 1 ano e 7 meses, são acompanhadas pelo chefe do Departamento de Neurocirurgia Pediátrica do HC, Hélio Machado, e por uma equipe de 25 profissionais, entre eles o neurocirurgião norte-americano James Goodrich, referência no assunto no mundo.

O procedimento de desligamento de vasos sanguíneos no crânio é um dos quatro programados até o fim do ano. Uma entrevista coletiva está marcada para a tarde de segunda-feira (21), quando os médicos informarão detalhes sobre a cirurgia realizada neste sábado.

A família ficará hospedada em Ribeirão Preto até o fim do tratamento, uma vez que as viagens de ida e volta demandam uma logística elaborada.

A primeira cirurgia foi realizada em 17 de fevereiro e durou sete horas. A separação total somente deve acontecer em novembro, na última intervenção médica.

Gêmeas siamesas unidas pela cabeça passam pela primeira cirurgia no HC de Ribeirão Preto 

Entenda o caso 

As meninas, naturais de Patacas, distrito de Aquiraz, a 35 km da capital Fortaleza (CE), são acompanhadas há mais de um ano no interior de São Paulo por cerca de 30 profissionais, envolvendo neurocirurgiões, neurologistas, anestesistas, cirurgiões plásticos, intensivistas e enfermeiros.

O neurocirurgião Eduardo Jucá, responsável pelo acompanhamento das irmãs no Ceará foi quem as encaminhou ao hospital em São Paulo. Jucá foi aluno da Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto e especializou-se em neurocirurgia pediátrica.

Ele tomou conhecimento do caso das irmãs pouco tempo após o nascimento delas, quando as duas foram encaminhadas ao hospital onde ele atua como coordenador. Devido à complexidade, entrou em contato com a equipe do HC para articular as avaliações.

Para viabilizar as cirurgias, exames complexos de ressonância magnética feitos no HC foram enviados à equipe do neurocirurgião James Goodrich, no Montefiore Medical Center, em Nova York. Eles propiciaram a criação dos moldes tridimensionais que auxiliam a equipe na cirurgia.

Goodrich dedicou a carreira a casos complexos como este e já realizou 20 cirurgias de sucesso pelo mundo.

Referência: G1 Ribeirão Preto Franca - https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/segunda-cirurgia-de-separacao-de-gemeas-siamesas-e-concluida-com-sucesso-em-ribeirao-preto-sp.ghtml

Compartilhe

Editor: Benedito Carlos Maciel
Corpo Editorial: Margaret de Castro, Benedito Carlos Maciel, Ricardo de Carvalho Cavalli
Coordenação Executiva: Célia Bíscaro
Assessoria Técnica: Seção Técnica de Informática da FMRP-USP
Assessoria: Assessoria de Imprensa do HCFMRP-USP, Assessoria de Imprensa HEAB, Assessoria de Imprensa do Hemocentro RP e Documentação Científica da FMRP-USP
Jornal Eletrônico do Complexo Acadêmico de Saúde - FMRP-USP | HCFMRP | FAEPA
2012 - Todos os Direitos Reservados - Fale Conosco