\ Univ… > Jorn… == > Dest… > Exis…

Existe diferença entre artrose e osteoartrite? Como tratar?

A artrose, também chamada de osteoartrite, é um processo degenerativo de “desgaste” das articulações, principalmente das mãos, joelhos, pés e quadril.

A artrose, também chamada de osteoartrite, é um processo degenerativo de “desgaste” das articulações, principalmente das mãos, joelhos, pés e quadril. A osteoartrite é a forma mais comum de artrite (inflamação das “juntas”). A causa da osteoartrite é uma interação complexa entre fatores mecânicos, celulares e biomecânicos. A osteoartrite é a principal causa de incapacitação dos membros inferiores (pernas) nos adultos mais velhos, o que mostra a relevância da doença. A incidência de osteoartrite aumenta com a idade e é maior no sexo feminino e em pessoas obesas, com predisposição anatômica (alterações no formato das articulações) ou com histórico familiar de osteoartrite. Lesões nas articulações, como no joelho, podem ocasionar a osteoartrite pós-traumática. Carga de trabalho física pesada representa um risco ocupacional, principalmente para a osteoartrite do joelho. Estima-se que aproximadamente 240 milhões de pessoas no mundo são afetadas pela osteoartrite. A dor é o sintoma inicial e mais prevalente nos pacientes com osteoartrite, normalmente acompanhada de limitações funcionais e rigidez. A dor relacionada à osteoartrite tem impactos negativos no humor e no sono do paciente e frequentemente afeta seu trabalho e atividades de lazer. Outras manifestações são fraqueza muscular, inchaço e deformidade da articulação e diminuição do equilíbrio (principalmente em osteoartrite de joelho, onde o paciente pode tropeçar e cair). Alguns pacientes podem ser assintomáticos e não sentirem dor, sendo a descoberta da osteoartrite realizada acidentalmente durante exames clínicos e de imagem. Normalmente, a osteoartrite atinge apenas uma ou poucas articulações do paciente, porém, em alguns casos, pode ocorrer de maneira generalizada, atingindo diversas articulações. O diagnóstico da osteoartrite pode ser clínico, quando o paciente apresentar os sintomas típicos e possuir idade avançada. Quando os sintomas são atípicos ou o paciente é jovem (menos de 45 anos), exames laboratoriais e de imagem podem ser solicitados. Os testes laboratoriais irão buscar fatores relacionados à inflamação, e auxiliam na diferenciação entre osteoartrite e artrite reumatoide. Exames de imagem podem ser utilizados no diagnóstico: radiografia (mostra apenas condições avançadas da osteoartrite), ressonância magnética (auxilia na detecção precoce e fornece informações adicionais sobre a progressão da osteoartrite) e ultrassonografia.

A artrose ou osteoartrite é uma condição complexa e não há um tratamento eficaz para alterar o desenvolvimento da doença. Assim, o tratamento visa diminuir a dor, diminuir a restrição funcional e modificar o processo de lesão das articulações (juntas). Durante a consulta, os profissionais de saúde farão algumas perguntas ao paciente para conhecer a dor, sua intensidade e sua origem, como por exemplo, saber se a osteoartrite é gerada por obesidade ou desalinhamento nas articulações. Com bases nas informações obtidas com o paciente, o profissional de saúde poderá estabelecer a melhor forma de tratamento. Dependendo do caso, o tratamento da osteoartrite poderá ser realizado com o controle do peso, exercícios e uso de órtese (aparelho utilizado para dar suporte ao paciente e preservar a articulação). Medicamentos anti-inflamatórios serão indicados pelo profissional de saúde quando o paciente com osteoartrite estiver com dor intensa. Quando a osteoartrite está muito avançada, pode ser necessário a realização de cirurgia, que faz a substituição total da articulação, sendo muito eficaz, principalmente em pacientes com osteoartrite de joelho e quadril. O paciente com osteoartrite deverá realizar acompanhamento médico constante, para avaliar como anda o tratamento e seu estado de saúde. Outras condições como depressão, distúrbios de sono e problemas sociais, podem surgir, sendo necessário o paciente e o profissional de saúde ficarem atentos para realizar intervenções quando necessárias. Embora exista uma grande variabilidade entre os pacientes e a forma com que a osteoartrite se apresenta, a dor e o funcionamento das articulações são estáveis, ou seja, não há melhora ou piora dos sintomas ao longo do tempo.

Referências: http://www.drrisadinha.org.br

UpToDate [Internet]. Epidemiology and risk factors for osteoarthritis. Informação atualizada em: 12 de fevereiro de 2019. Disponível em: http://www.sibi.usp.br/. Acesso em: 05 set. 2019.

UpToDate [Internet]. Clinical manifestations and diagnosis of osteoarthritis. Informação atualizada em: 30 de outubro de 2017. Disponível em: http://www.sibi.usp.br/. Acesso em: 05 set. 2019.

UpToDate [Internet]. Pathogenesis of osteoarthritis. Informação atualizada em: 02 de fevereiro de 2019. Disponível em: http://www.sibi.usp.br/. Acesso em: 05 set. 2019.

UpToDate [Internet]. Overview of the management of osteoarthritis. Informação atualizada em: 11 de outubro de 2017. Disponível em: http://www.sibi.usp.br/. Acesso em: 07 set. 2019.

Autor do resumo:
Gustavo José Miranda da Cunha

Revisor do resumo:
Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão