\ Univ… > Jorn… == > Dest… > Doce…

Docente da FMRP-USP é um dos autores de estudo publicado na Nature Scientifc Reports

O Professor Marco Aurélio Guimarães, docente do Departamento de Patologia e Medicina Legal da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP é um dos autores do estudo “Análise de microarranjos teciduais aplicada à diagenese óssea”, publicado na Nature Scientifc Reports.

Os processos tafonômicos que afetam os pós-mortem ósseos são importantes nas investigações forenses, arqueológicas e paleontológicas. Neste estudo, descreve-se a aplicação da análise de microarrays de tecidos (TMA) a uma amostra de espécimes ósseos femorais de 20 indivíduos exumados de período conhecido de sepultamento e idade de morte. A TMA permite a multiplexação de subamostras, permitindo a análise comparativa padronizada de seções adjacentes em 3-D e de seções representativas de um grande número de espécimes. Hematoxilina padrão e eosina, ácido periódico-Schiff e prata metenamina, picrosirius tintura vermelha, e CD31 e CD34 immunohistochemistry foram aplicados a TMA seções. As contagens de lacuna de osteócitos e osteócitos, percentagem de perda de matriz óssea e contagens de elementos esferóides fúngicos podem ser medidas e feixes de fibras de colágeno observados em todos os espécimes. A descalcificação com ácido nítrico a 7% avançou mais rapidamente do que com EDTA 0,5 M e pode oferecer melhor preservação da estrutura histológica e celular. Não foram detectadas células endoteliais utilizando a imuno-histoquímica CD31 e CD34. A correlação entre os osteócitos por lacuna e idade ao óbito pode refletir as respostas relacionadas à idade relacionadas ao micro-dano. As limitações metodológicas e as ressalvas e os resultados da análise TMA da diagênese post mortem no osso são discutidos e as implicações para a sobrevivência e recuperação do DNA são consideradas.

Leia o artigo  AQUI