\ Univ… > Jorn… == > Dest… > Estu…

Estudo sobre bullying é premiado pela Sociedade Brasileira de Pediatria

Foi o melhor tema livre apresentado durante o último Congresso Brasileiro de Pediatria e mostra influência da família no fenômeno.

Pesquisa do psicólogo Wanderlei Abadio de Oliveira (foto), mostrando relações familiares que predispõem ao bullying entre escolares, foi destaque do último Congresso Brasileiro de Pediatria. Promovido pela Sociedade Brasileira de Pediatria, o evento debate as mais recentes pesquisas e tendências em saúde do adolescente e, este ano, discutiu “Os adolescentes do Século XXI: mudaram eles ou mudamos nós?”.

Interações familiares de meninos e meninas relacionadas ao bullying entre adolescentes ficou como tema livre apresentado entre outros 240 trabalhos do evento. Para o psicólogo, o reconhecimento da Sociedade Brasileira de Pediatria representa a “atenção da comunidade médica ao problema escolar que afeta a saúde e o desenvolvimento dos adolescentes”.

Em sua tese de doutorado, apresentada à Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP, Oliveira estudou o fenômeno do bullying escolar a partir da perspectiva dos alunos. Foram 2.354 adolescentes avaliados, com resultados que ressaltam a influência do ambiente familiar nas violências escolares. Observou que estudantes vindos de famílias disfuncionais têm mais chances de cometer bullying que os vindos de lares em que o clima familiar é positivo. Bons sentimentos e boa comunicação “diminuem a chance de o estudante se envolver em situações desse tipo de violência na escola”, afirma o psicólogo.

Com esses resultados, o pesquisador acredita que a sociedade está diante de um novo desafio: “auxiliar as famílias a serem funcionais e promotoras do desenvolvimento saudável para essas crianças e adolescentes”. E o problema, adianta, “não é de responsabilidade apenas dos profissionais da educação”, já que os resultados de seu estudo indicam inclusão da família como variável para entender o bullying no contexto escolar, abrindo espaço para ações de profissionais da saúde, “principalmente aqueles que atuam na atenção primária, no cuidado às famílias, que podem auxiliar os grupos familiares nos modos de disciplina dos filhos, na maneira como a comunicação pode ser mais assertiva ou positiva”.

Atualmente, Oliveira é professor da EERP e também desenvolve projeto de pós-doutorado no Laboratório de Ensino e Pesquisa em Psicologia da Saúde (LEPPS) do Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP. O Congresso da Sociedade Brasileira de Pediatria foi realizado entre os dias 23 e 25 de maio de 2019 na cidade de São Paulo-SP.

Mais informações: wanderleio@hotmail.com

Referência: Portal de Informações da USP Ribeirão Preto – Por: Tainá Lourenço – Foto:  Design Demon/Diablo via Flickr