\ Univ… > Jorn… == > FMRP > HEAB…

HEAB e AME Américo Brasiliense contra o preconceito

O Hospital Estadual Américo Brasiliense, realizou no último dia 21 de novembro, a palestra: “Olhe e veja além do preconceito. Respeite as diferenças”.
O evento teve o objetivo de apresentar o Decreto Estadual 55.588 de 17 de março de 2010, que dispõe sobre o tratamento nominal das pessoas transexuais e travestis nos órgãos públicos do Estado de São Paulo.

Paulo Sérgio Tetti Maragn, Gestor de Políticas para Diversidade Sexual de Araraquara

Para o Gestor de Políticas para Diversidade Sexual de Araraquara, Paulo Sérgio Tetti Maragni, o conhecimento do Decreto, é importante para garantir o respeito ao Travesti e Transexual.
“Quando você fala com um travesti com nome que é da careira do RG, a gente está fazendo uma violação dos direitos humanos, porque o nome dela, é o que ela se identifica”, disse Paulo Sérgio.
A partir desta ideia, o Hospital Estadual Américo Brasiliense e AME Américo Brasiliense, trouxeram para conhecimento dos colaboradores a importância deste decreto, a fim de aprimorar as práticas de integração social, com a lógica do Respeito e Humanização.
Para a Coordenadora da Equipe Multiprofissional do HEAB, Cleice Levorato, é mais que o respeito, é uma função social.
“O atendimento na área da saúde também tem uma dimensão política. Se eu atendo o usuário como um objeto, ou seja, sem escutá-lo enquanto um sujeito de direitos, de opinião, estarei reproduzindo o modo objeto de estar no mundo, sujeitando o outro à apenas ao meu saber. Nestes encontros, temos a função de ampliar a capacidade reflexiva dos usuários enquanto sujeitos de direitos”, enfatizou Cleice Levorato.
Ainda segundo Paulo Sérgio, as pessoas que trabalham em hospitais e em órgãos públicos, é fundamental ter essa orientação para garantir o respeito.
“Se um paciente tem a ficha dele com nome de menino e ele se identifica como menina, é muito constrangedor ao ser chamado com nome de homem, levantar uma figura de menina. O nosso trabalho é fazer com que as pessoas tenham consciência disso”, completou o Gestor de Políticas para Diversidade Sexual de Araraquara.