\ Univ… > Jorn… == > Dest… > Prog…

Programa de apoio aos funcionários e familiares é uma das prioridades do Planejamento Estratégico do HC

Álcool e outras drogas são frequentes queixas no ambiente de trabalho com consequências de ordem física, emocional, social e laborativa. No que se refere às consequências, são muitos os afastamentos e licenças saúde, acarretando em danos tanto para o funcionário, quanto para a empresa. Preocupada com essa questão, a Administração elegeu o programa de apoio como uma das prioridades do Planejamento Estratégico.

A equipe do Serviço de Assistência Médica e Social do Pessoal (SAMSP) intensificou o programa de atendimento médico, psicológico e de assistência social aos funcionários que apresentam dificuldades relacionadas ao uso de álcool e drogas.

O atendimento também foi estendido aos funcionários que sofrem com as consequências do uso abusivo pelos familiares.

Os funcionários, que têm problemas relacionados ao consumo de substâncias psicoativas, são atendidos pela equipe de psicólogos em sessões individuais semanais com duração de 50 minutos.

O objetivo desse acompanhamento é auxiliar o paciente no enfrentamento das situações de consumo abusivo, no que tange à politica de redução de danos e qualidade de vida deste indivíduo.

Os pacientes são encaminhados para atendimento pela equipe do SAMSP, pelos médicos do próprio serviço SAMSP, pelos médicos do trabalho do Serviço de Medicina e Segurança do Trabalho (SESMT), pelo grupo de discussão de casos de funcionários promovido pelo Centro de Recursos Humanos ou por procura espontânea sendo encaminhado ao serviço social.

O atendimento é realizado por uma equipe de psicólogos, através de encontros grupais onde são discutidos temas referentes às dificuldades enfrentadas por cada participante e o desenvolvimento de habilidades de enfrentamento das demandas do dia a dia.

É importante ressaltar, que os atendimentos no SAMSP, seja o atendimento médico ou psicológico, oferecidos para os pacientes fármacodependentes e seus familiares, seguem sempre as normas éticas no que diz respeito ao sigilo terapêutico.

Referência: Assessoria de Comunicação HCFMRP-USP