\ Univ… > Jorn… == > Dest… > USP…

USP participa de rede que investiga efeitos terapêuticos dos canabinoides

The hands of scientists dropping cannabis oil for experimenting and researching medicinal plants, ecology, marijuana, cbd oil, medicine from a glass bottle.

Brasil é pioneiro no estudo do canabidiol e vai compartilhar dados com pesquisadores de oito países de rede iberoamericana.

Para promover a investigação científica sobre os efeitos terapêuticos dos canabinoides em doenças neurodegenerativas e neuropsiquiátricas, mais de 60 pesquisadores de oito países, incluindo, além do Brasil, Argentina, Bolívia, Costa Rica, Espanha, México, Portugal e Uruguai, formaram a rede acadêmica CannaLatan. A iniciativa inclui grupos de pesquisa básica e clínica, além de empresas farmacêuticas especializadas.

A rede será coordenada pelo Instituto de Neuroquímica da Universidade Complutense de Madrid e terá a participação da USP sob a liderança do professor Francisco Silveira Guimarães, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), e participação dos pesquisadores Alline Cristina de Campos, Rubia Maria Monteiro Weffort de Oliveira, Felipe Villela Gomes, todos da FMRP, além de Elaine Aparecida Del Bel Belluz Guimarães, da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp), e Sâmia Regiane Lourenço Joca, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). De acordo com o professor Francisco Silveira Guimarães, em entrevista à Agência Fapesp, o Brasil é pioneiro no estudo do canabidiol, tema de pesquisa iniciado há 30 anos quando ainda havia preconceito devido à associação da substância com a maconha.

O grupo multidisciplinar da CannaLatan também conta com o apoio do Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento (Cyted) criado para cooperação de temas de ciência, tecnologia e inovação entre governos dos países envolvidos.

De acordo com a divulgação do Cyted, os objetivos da nova rede são:

  • Estudo dos efeitos de canabinoides em modelos pré-clínicos de doenças neurodegenerativas (por exemplo, Alzheimer, Huntington e Parkinson)
  • Estudos de caracterização genética do sistema endocanabinoide em doenças neurodegenerativas e psiquiátricas
  • Desenvolvimento de extratos padronizados de fitocanabinoides e desenvolvimento de novas moléculas de canabinoides
  • Promoção de pesquisas em neurobiologia e farmacologia nas instituições participantes, formação de pesquisadores e desenvolvimento profissional
  • Divulgação científica das pesquisas para a sociedade e formação de profissionais de ciências da vida e da saúde interessados ​​no tema

Aa atividades da CannaLatan se iniciaram com a divulgação do estudo Plastic and Neuroprotective Mechanisms Involved in the Therapeutic Effects of Cannabidiol in Psychiatric Disorders, do grupo de pesquisa brasileiro, publicado na revista Frontiers in Pharmacology.

Sobre os canabinoides

Apesar de extraído da maconha, o canabidiol não produz dependência nem efeitos psicotrópicos. A substância na maconha responsável por tais efeitos é o tetraidrocanabinol (THC) e o canabidiol promove o oposto, ao exercer ação bloqueadora sobre alguns efeitos do THC.

Referência: Jornal da USP – Foto: 123RF